Control Quality

Facebook

Chocolate pode ajudar a reduzir em até 37% as doenças cardiovasculares

Categorias:

Trabalho publicado no British Medical Journal (BMJ) relata que os maiores níveis de consumo de chocolate foram associados a uma redução de 37% na doença cardiovascular e uma redução de 29% no acidente vascular cerebral em comparação com os níveis mais baixos de consumo. Os pesquisadores alertam que novas pesquisas são necessárias para confirmar tal hipótese.

Uma meta-análise avaliou o risco de desenvolver transtornos cardiometabólicos, incluindo a doença cardiovascular (doença coronariana e acidente vascular cerebral), diabetes mellitus e síndrome metabólica, comparando o nível mais alto e o mais baixo de consumo de chocolate.
Fontes de dados do Medline, Embase, Cochrane Library, PubMed, CINAHL, IPA, Web of Science, Scopus, Pascal, dentre outras listas de referência de estudos relevantes foram utilizadas, assim como ensaios clínicos randomizados e estudo de seleção de coorte, caso-controle e estudos seccionais realizados em adultos humanos, em que a associação entre consumo de chocolate e o risco de resultados relacionados a distúrbios cardiometabólicos foram avaliados.
De 4.576 referências, sete estudos preencheram os critérios de inclusão (incluindo 114.009 participantes). Nenhum dos estudos era randomizado, seis estudos eram de coorte e um era transversal. Grande variação foi observada entre estes sete estudos em relação à medição do consumo de chocolate, aos métodos utilizados e aos resultados avaliados. Cinco dos sete estudos relataram uma associação benéfica entre os níveis mais elevados de consumo de chocolate e o risco de doenças cardiometabólicas. Os maiores níveis de consumo de chocolate foram associados a uma redução de 37% na doença cardiovascular e uma redução de 29% no acidente vascular cerebral em comparação com os níveis mais baixos de consumo.
Com base nas evidências observacionais, os níveis de consumo de chocolate parecem estar associados a uma redução substancial no risco de desenvolver distúrbios cardiometabólicos. Novos estudos experimentais são necessários para confirmar o efeito potencialmente benéfico do consumo de chocolate.

FONTE: BMJ

LEIA TAMBÉM: