Control Quality

Facebook

Maçã, pêra e banana ajudam a prevenir o acidente vascular cerebral (AVC)

Categorias:

A cor da parte comestível de frutas e vegetais reflete a presença de compostos bioativos como, por exemplo, carotenoides, antocianinas, flavonoides, etc. Mas ainda não se conhece quais os grupos de frutas ou vegetais que mais colaboram para a prevenção do acidente vascular cerebral. O presente estudo avaliou a associação entre o consumo dos diferentes grupos de frutas e vegetais, separados por cor da parte comestível, durante dez anos, e verificou a incidência de acidente vascular cerebral (AVC).

O estudo prospectivo, de coorte, publicado no periódico Stroke, incluiu 20.069 homens e mulheres, entre 20 e 65 anos, livres de doenças cardiovasculares no início da pesquisa. Os participantes preencheram questionário detalhado sobre hábitos alimentares. Foi calculada a incidência de AVC utilizando a análise multivariada de Cox com ajustes para idade, sexo, estilo de vida e fatores dietéticos.
Durante 10 anos de acompanhamento, 233 novos casos de acidente vascular cerebral foram documentados.
As frutas e os vegetais foram classificados em quatro grupos de cores:
Grupo 1: verde
Grupo 2: laranja e amarelo.
Grupo 3: vermelho e roxo.
Grupo 4: branco.
A média de consumo para cada grupo foi, respectivamente, de: 62g/dia; 87g/dia; 57g/dia e 118g/dia.
Os grupos 1, 2 e 3 não estavam relacionados com a incidência de acidente vascular cerebral. Já o grupo de frutas e vegetais com a parte comestível na cor branca foi inversamente associado com aincidência de acidente vascular cerebral. Cada aumento de 25 gramas/dia no consumo de frutas e vegetais brancos foi associado a um risco 9% menor de acidente vascular cerebral. Maçãs e peras foram as frutas mais consumidas (55%).
Concluiu-se que a alta ingestão de frutas e vegetais brancos pode proteger contra o derrame cerebral ou AVC. Novos estudos são necessários para afirmar se a cor dos alimentos pode ser usada para determinar quais os benefícios estes alimentos podem ter para a saúde.

FONTE: Stroke

LEIA TAMBÉM: