Control Quality

Facebook

Farmacêutica francesa faz alerta sobre pílula do dia seguinte

Categorias:


Uma fabricante francesa de contraceptivos afirmou, que sua pílula do dia seguinte não funciona quando tomada por mulheres que pesam mais de 80 quilos, por isso pretende mudar sua bula para avisar as pacientes.
A decisão de mudar a indicação é baseada em estudos anteriores sobre o levonorgestrel, um dos princípios ativos da pílula do dia seguinte Norlevo, de acordo com Frederique Welgryn, chefe de saúde feminina do laboratório.
Especialistas afirmam que mulheres mais pesadas não devem presumir, a partir dessa decisão, que a contracepção de emergência não vai funcionar para elas. É preciso conversar com um profissional da saúde ou considerar alternativas como o uso do dispositivo intrauterino (DIU). 
No Brasil, várias marcas de contraceptivos de emergência têm como princípio ativo o levonorgestrel. 
Welgryn afirma que os resultados de um estudo conduzido pela Universidade de Edimburgo em 2011, que ajudaram a fundamentar a decisão do laboratório, foram recebidos com surpresa. Mas muita discussão tem ocorrido nos últimos anos sobre a eficácia de contraceptivos em pacientes obesas ou com sobrepeso. 
A chefe executiva da HRA Pharma, Erin Gainer, estima que milhões de mulheres na Europa usam contraceptivos de emergência idênticos ao Norlevo. 
Anna Glasier, pesquisadora responsável pelo estudo de 2011 que levou a farmacêutica a tomar essa decisão, diz que a pesquisa não tinha o objetivo de verificar especificamente o efeito do peso na contracepção de emergência. O estudo incluiu 1.700 mulheres. 
"Não estou em posição de comentar se a decisão da companhia de mudar sua indicação é prematura", ela disse por e-mail. 
A pílula do dia seguinte apresenta uma alta dose de hormônios contidos em pílulas anticoncepcionais comuns. Ao tomá-la até 72 horas depois da relação sexual, as chances de gravidez diminuem 89%. Se a mulher já estiver grávida, a pílula não faz efeito. 
A farmacêutica começou a consultar os reguladores franceses sobre a mudança da indicação da pílula em 2012 e só agora as autoridades aprovaram as mudanças. A nova indicação afirma que a eficácia da droga é reduzida para mulheres com mais de 75 quilos e que ela é ineficaz para as que pesam mais de 80 quilos. 
FONTE: G1

LEIA TAMBÉM: