Control Quality

Facebook

O ácido acetilsalicílico e o ibuprofeno podem ajudar a tratar a depressão, diz pesquisa

Categorias:

Medicamentos de uso diário como o ácido acetilsalicílico (aspirina) e ibuprofeno podem ajudar a tratar a depressão. A descoberta veio depois que cientistas notaram que inflamações podem influenciar doenças mentais.
Um estudo da Universidade de Cambridge sugeriu que o sistema imunológico desempenha um papel importante na saúde mental interferindo nas respostas do nosso corpo e aumentando o risco de doença mental tardia. Mas as drogas que combatem a inflamação poderiam fornecer uma alternativa de tratamento prontamente disponível, “segura” e acessível.
O líder do estudo, o Dr. Golam Khandaker do departamento de psiquiatria da Universidade de Cambridge, disse: “Nosso sistema imunológico funciona como um termostato, sempre diminuindo, mas que se eleva quando temos uma infecção. Em algumas pessoas, o termostato é sempre um pouco mais alto, comportando-se como se tivessem uma infecção persistente de baixo nível”.
“Essas pessoas parecem apresentar um risco maior de desenvolver depressão e psicose. É muito cedo para dizer se essa associação é causal, e estamos realizando estudos adicionais”.
As pessoas que sofrem de depressão e de esquizofrenia são conhecidas por terem um risco muito maior de desenvolver doenças cardíacas e diabetes. Anteriormente se confirmou que níveis elevados de IL-6 também podem aumentar as chances dessas doenças aparecerem.
Os pesquisadores também advertiram que as crianças expostas a altos níveis de infecção podem ser mais propensas à depressão e psicose quando crescerem. Eles analisaram amostras de sangue de 4.500 voluntários de nove anos de idade que foram acompanhados até os 18 anos, com o intuito de verificar se eles haviam apresentado episódios de depressão ou psicose.
As amostras foram examinadas em busca de alguma infecção anterior.
Quando o sistema imunológico é mobilizado, a circulação sanguínea é inundada com proteínas, como a interleucina-6 (IL-6), um marcador de infecção que também tem função de exterminá-la. Mesmo após a recuperação, o sangue do indivíduo carrega traços dessas proteínas, conhecidas como “marcadores inflamatórios”.
A equipe descobriu que crianças com altos níveis cotidianos de IL-6 tiveram quase duas vezes mais probabilidade de terem apresentado depressão ou psicose, em comparação das pessoas com níveis mais baixos.
O estudo, publicado na revista JAMA Psychiatry, diz que anti-inflamatórios devem ser investigados para ter certeza se podem tratar de doenças como a depressão. O tratamento com tais agentes estabiliza os níveis de marcadores inflamatórios.
Estudos anteriores sugeriram que os anti-inflamatórios como a aspirina e ibuprofeno, utilizados em conjunto a tratamentos antipsicóticos, apresentaram um maior nível de eficácia.
O professor Peter Jones, chefe do departamento de psiquiatria na Universidade de Cambridge, disse: "A inflamação pode ser um mecanismo comum que influencia tanto a nossa saúde física e mental”.
"É possível que o estresse quando somos jovens possa levar a um aumento persistente dos níveis de IL-6 e outros marcadores inflamatórios no nosso corpo, que por sua vez aumenta o risco de uma série de doenças físicas crônicas e mentais."
FONTE: DAILYMAIL

LEIA TAMBÉM: